site Amigo da Luz

Trezena de Santo Antônio completa

Santo-Antonio-3Santo Antônio de Pádua – Padroeiro de nossas missões

Santo Antônio foi um pregador incansável, que anunciou a Palavra de Deus com coragem e determinação e que converteu muitos corações endurecidos através do seu testemunho de amor a Jesus Cristo. Somos impulsionados a apresentar ao outro a Luz da Vida que brilha em nós, testemunhando, àqueles que estão nas trevas, que a verdadeira Luz nasce do coração dos que realmente experimentam a Deus.
“Fala em várias línguas quem está repleto do Espírito Santo. As diversas línguas são o testemunho que devemos dar a favor de Cristo, a saber, humildade, pobreza, paciência e obediência.”

1º Dia
“Meus pensamentos não são os vossos, e o vosso modo de agir não é o meu, diz o Senhor” (Is 55, 8).
Santo Antônio pertencia a uma rica família, mas preferiu renunciar aos prazeres do mundo para abraçar a Deus e o Seu serviço. Desde criança tinha um grande amor pelos pobres, pequenos e fracos. Já era um padre agostiniano quando sentiu o chamado para Ordem Franciscana. Encantou-se com aquela vida de hábitos singelos, pobreza, oração e alegria diferente. Seu desejo era ser missionário entre os infiéis e derramar seu sangue por amor a Cristo. Porém, todos os seus planos foram destruídos. Depois de longa reflexão, aceitou, humildemente, a vontade de Deus. Renunciou a qualquer projeto, por mais importante que fosse por causa de um único ideal: o abandono nas mãos de Deus.
Não foi um mártir de forma física, mas de espírito. Mártir pelo desejo, mártir de coração. Sua vida esteve disposta na vontade de Deus.

Reflexão
1. Santo Antônio buscou viver a vontade de Deus incondicionalmente, passando pela dor da renúncia e da mortificação. Tenho vivido o abandono e o acolhimento para cumprir a vontade de Deus na minha vida missionária?
2. Imolou seu desejo, sua vontade, seus planos para viver essa identificação com Cristo, que se humilhou assumindo a Sua condição de homem, para que o plano de salvação de Deus fosse cumprido. O que precisa ser imolado em mim para que eu viva esta identificação com Cristo?

Oração
Glorioso Santo Antônio, vós que fostes obediente à voz de Deus, fazei com que o meu coração se abra para esta verdade permitindo, assim, que eu me identifique com Cristo em humildade e obediência. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

2º Dia
“Todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a Mim mesmo que o fizestes” (Mt 25, 40).
Santo Antônio tinha grande amor pelos pobres, fracos e pequenos e toda sua vida foi uma dedicação ao próximo. Para ele não havia cansaço, doença ou fadiga que o impedissem de ir ao encontro dos mais carentes.
Desde o tempo do mosteiro agostiniano, onde tinha uma vida oculta, procurava serviços que fossem úteis à Comunidade, tais como: lavar utensílios da cozinha, manter o chão limpo. Fazia tudo com amor e simplicidade, buscando somente a glória de Deus e o bem das almas. Para ele não existia o outro, mas o irmão. Dizia: “o bem está em todos, basta saber evocá-lo e cultivá-lo com inteligência e paciência”.
Os pobres sentiam-se consolados por ele, pois sendo rico, cheio de sabedoria humana e divina, fez-se um deles. Ele sempre elogiava a pobreza honesta e paciente. Estendia sempre as suas mãos em favor dos necessitados.

Reflexão
1. Santo Antônio não se preocupava consigo, tinha o seu olhar sempre voltado para o irmão, pois sua atitude tinha que ser semelhante a de Jesus. Diante disso, como avalio a minha condição de servo de Cristo?
2. O seu servir se estendia a todo povo de Deus, inclusive aos seus irmãos de Comunidade, pois eles eram a extensão do corpo de Cristo. Tenho buscado o servir como caminho de crescimento para a minha identificação com Cristo, que veio para servir e não para ser servido, principalmente, dentro da vida comunitária?

Oração
Glorioso Santo Antônio, vossa maior alegria estava em ser servo. Fazei com que eu viva em plenitude esta virtude com o mesmo amor que a praticastes, para que desta forma eu encontre Cristo na pessoa do meu irmão. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

3º Dia
“Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos Céus” (Mt 5, 3).
Santo Antônio admirava muito São Francisco e sempre procurava imitá-lo em tudo, por isso, era fiel ao lema franciscano: anunciar a paz e o bem.
Percorria os lugares onde era grande o número de hereges e que pudesse dedicar-se totalmente aos pobres. Sentia e sofria com a miséria, que era fruto da exploração humana, colocando-se na mesma situação daqueles pobres, não por sentimentalismo ou interesse, mas por vocação. Dizia que os frades menores, “uma vez descarregado do peso do mundo, ligeiro voam, por meio do amor, ao encontro de Cristo”. Ainda, segundo o santo, os frades menores deviam ser como pássaros que não semeiam, nem ceifam e nem recolhem, mas esperam em Deus.
Desprendido dos prazeres do mundo, fazia-se livre para iluminar aqueles que padeciam nas trevas. Por não procurar para si honra e glória, tinha a liberdade de anunciar a Palavra de Deus, sem fazer distinção entre as pessoas, censurando sem medo os pecados de todos.

Reflexão
1. Trazia dentro de si o desprendimento dos valores terrenos, tornando-se livre para anunciar a Boa Nova a todos, sem distinção de pessoas. Os valores terrenos têm me escravizado, impedindo assim que eu me lance livremente na minha vocação?
2. Santo Antônio assumiu o seu chamado sem medo do que poderia acontecer com sua vida, mas trazia dentro de si a confiança de que o Senhor o socorreria em todas as suas necessidades. Assumo, com confiança, todos os dias, a minha eleição, não pensando mais em voltar atrás quando a dor da renúncia ou da perda gritam dentro de mim?

Oração
Bem-aventurado Santo Antônio, vós que buscastes dentro de vós o desprendimento dos valores terrenos para poder, com liberdade, assumir a missão, fazei com que eu viva toda esta pobreza evangélica, para me encontrar com Cristo na Sua glória. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

4º Dia
“Antes do teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações” (Jr 1,5).
Santo Antônio foi criado dentro de uma família católica, cujo amor aos pobres e a pureza do corpo e da alma foram implantados em seu coração. Com cinco anos fez o voto de castidade e aos 15 anos decidiu ser padre. Assumir essa vocação bem cedo, trouxe ao nosso santo muitos sofrimentos, pois teve que passar por grandes provações e tentações.
Sua educação foi totalmente cristã e coroada pela virtude da caridade e ardente amor a Jesus no Santíssimo Sacramento da Eucaristia.
Os projetos dos pais, os sonhos juvenis tornavam o mundo atraente, mas superou a fragilidade humana, combatendo a concupiscência da carne. Não poderia permanecer assim. A voz divina ecoava no mais profundo do seu espírito. Desde pequeno aprendera a reconhecer aquela voz irresistível. Devia decidir: ou assumir ou abandonar.
Deus o havia chamado e àquele convite se entregara totalmente a si mesmo. Esta era a verdadeira felicidade para Santo Antônio: entregar-se sem reserva a Deus e a conseqüente paz na alma. Quando conheceu a Ordem franciscana, passava por um período de descontentamento vocacional, pois as constantes visitas de parentes e amigos o impediam de ter uma vida de profunda oração e de contemplação. O carisma franciscano o fez refletir, levando a descobrir que sua vocação era ser missionário, pregador do evangelho aos pagãos. Já não era mais padre Fernando, mas frei Antônio, com coragem e determinação assumiu a vocação por Deus escolhida.

Reflexão
1. Santo Antônio sofreu tentações, lutou contra a concupiscência da carne para não desagradar a Deus e assumir a voz divina que ecoava em seu coração. Tenho lutado contra o desejo da carne para assumir a minha consagração e não mais desagradar a Deus?
2. A verdadeira felicidade para Santo Antônio era a entrega sem reserva a Deus. Esta entrega sem reservas o fez obedecer corajosamente a um chamado que mudaria sua vida. O que me falta para que eu me entregue a Deus sem reservas e me lance para a missão que o Senhor tem para mim?

Oração
Glorioso Santo Antônio, vós que assumistes sem reservas o chamado do Senhor, fazei com que eu lute contra toda a minha fragilidade humana e assuma com alegria a minha consagração, pois quero ser luz numa sociedade que vive nas trevas. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

5º dia
“Como os raios se desprendem das nuvens, assim também dos santos pregadores emanam obras maravilhosas. Disparam os raios, enquanto cintilam os milagres dos pregadores; retornam os raios, quando os pregadores não atribuem a si mesmos as grandes obras que fazem, mas à graça de Deus" (Santo Antônio).
Era um pregador que colhia seus frutos no sacramento da Confissão. Sentia tão feliz em levar os pecadores a renascer à luz divina que isso o fazia esquecer o cansaço, o frio, o calor, a restauração das forças.
Durante toda sua trajetória de pregador, não se calou diante do pecado e do vício. Sua missão era de iluminar com a luz de Deus os passos do Seu povo. A luz devia brilhar para que o povo visse as coisas boas. Mesmo sendo luzeiro, achava-se indigno de receber qualquer honra, pois tudo que fazia ele atribuía a Deus, sentia-se um nada diante do poder de Deus.
Julgava-se tão miserável e pecador que acreditava que o Senhor não o considerava digno de ter sido mártir em Marrocos. No Convento de Santa Maria de Arcello, momentos antes de sua morte, pede para se confessar. Disse ele: “O homem justo está convencido de ser sempre um principiante”.
Para ele o verdadeiro penitente deve manter sempre fixo na alma o propósito de não recair na culpa, pois é aí que muitos confessam seus pecados, mas jamais se emendam.

Reflexão
1. Sua missão era pescar almas, muitas almas para Deus, e como um bom Pastor, ia além de suas forças humanas para realizar a vontade do Senhor. Tenho dado o máximo de mim para realizar o que Deus, um dia, a mim confiou?
2. Era chamado de pescador de almas, porque por meio de suas pregações o povo percebia que era necessário buscar, rapidamente, uma reconciliação com Deus e a partir daí ser uma nova criatura. O meu conhecimento da Palavra de Deus e o meu testemunho têm ajudado as pessoas a sair da lama dos vícios e dos pecados para elevá-los a uma conduta digna de filhos de Deus?

Oração
Amabilíssimo Santo Antônio, vós que lutastes, incessantemente, para resgatar almas para Deus por meio das vossas pregações e de vosso testemunho de vida, fazei com que eu lute até o sangue para combater o pecado existente em mim e na humanidade. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

6º Dia
“Ó meu Senhor Jesus, eu estou pronto a seguir-Te mesmo no cárcere, mesmo até à morte, a imolar a minha vida por Teu amor, porque sacrificaste a Tua vida por nós” (Santo Antônio).
Um discurso improvisado abriu para Santo Antônio os caminhos da ação apostólica. Ele passou por um mundo totalmente conturbado em todos os sentidos: político, religioso, econômico, cultural e social. Surgiu, a partir daí, na vida da Igreja, movimentos religiosos que voltaram a viver segundo o Evangelho. Muita gente queria viver como os apóstolos na forma da Igreja primitiva. Foi nesse mundo que ele pensou e agiu, rezou e sofreu, ensinou e lutou.
“Tromba de guerra é a pregação”, e é sinal de grande dureza de coração quando o povo ouve a tromba da pregação anunciando a morte eterna e não experimenta nenhum temor. Ele permaneceria feliz no esquecimento contemplativo de Montepaolo, longe deste mundo conturbado, mas lhe foi imposto as fadigas da pregação ao povo cercado de hereges, degradado pela ignorância, esmagado pelos opressores.
Para este combate entre o bem e o mal ele tinha suas próprias armas: santidade e bom exemplo, preparação doutrinal adequada, excelente dotes expositivos. Era um anticonformista, isto é, não se acomodava sem luta na aceitação da realidade assim como ela se apresenta. Estava sempre insatisfeito com a mediocridade, denunciando os males de seu tempo sem medo. A sua pobreza era absoluta, fugia quase sempre dos prazeres que vinham da popularidade, era desinteressado e pronto para qualquer renúncia, capaz de doar-se sem medida.
Santo Antônio tinha o objetivo de imitar a Cristo em tudo, por isso lutou para não deixar que a soberba entrasse no seu coração. Deu sua vida pelos seus, porque havia entendido a sublime caridade do Evangelho.

Reflexão
1. Santo Antônio foi um anticonformista diante de um mundo conturbado. Lutou com a vida para a instauração do Reino de Deus. O seu único interesse era unir os homens ao seu Criador. Tenho mortificado verdadeiramente a minha carne para que o Reino de Deus aconteça em mim e no meu próximo, por meio da minha pessoa?
2. Ele travou uma grande batalha contra o mal e para combatê-lo usava armas próprias, mas estas de nada valeriam se ele não buscasse imitar a Cristo. Imitar a Cristo significa levar a salvação até aqueles que estão morrendo por causa do pecado. Qual a minha resposta diante desse apelo de Cristo para que eu encarne a verdade do Evangelho?

Oração
Glorioso Santo Antônio, vós que mortificastes a carne para ser merecedor do Reino de Deus, fazei que eu não me acomode com a injustiça e nem me desvie da prática da caridade de Cristo. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

7º Dia
“Se alguém quiser vir comigo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mt 16, 24).
Santo Antônio não passou por esta vida conhecendo somente o sucesso, mas conheceu a amargura da repulsa e da derrota. Viveu como todo arauto de Cristo, revezando sucessos e insucessos, fazendo, ora colheitas abundantes, ora mirradas.
Quando teve sucesso, obteve também o seu preço, pois não se faz o bem impunemente, nem se lança o desafio ao pecado e aos pecadores sem sofrer represálias. Existe a Paixão de Cristo, existem as paixões dos mártires.
Deve-se anunciar Cristo, que é a Verdade, sem nada atenuar ou calar, mesmo se alguém se sinta magoado. A Verdade provoca ódio. Se em torno ao pregador se encontra apenas admiração e amor, isto significa que não anunciou a verdade sincera e total. Assim era a vida do nosso santo.
Ele não se limitava somente às palavras. Empenhava-se, concretamente, em favor dos pobres, lutando contras as leis dos poderosos de Pádua, opondo-se aos tiranos da Itália. Mesmo com a saúde debilitada por causa de uma doença que o dificultava a ficar em pé, não recusava a nenhum pedido de ajuda, mesmo que isso lhe custasse a vida.

Reflexão
1. Santo Antônio não se calou frente às perseguições, às calúnias, às injúrias e ao ódio. Denunciou a Verdade em todos os lugares que passou. Carrego a minha cruz com amor quando sou perseguido, ou passo por fortes provações tendo-a apenas como peso?
2. Ele não se limitava somente em pregar a Palavra de Deus, Aquela que liberta e salva, mas tinha atitudes concretas para libertar os pobres e oprimidos dos seus opressores. Hoje, eu apenas prego a Palavra ou me comprometo para que Ela ganhe vida com minhas atitudes de amor para com o próximo?

Oração
Glorioso Santo Antônio, vós que abraçastes a cruz de Cristo com amor e experimentastes a paixão do mártir, fazei com que eu encontre na minha cruz toda sabedoria, fortaleza e coragem para ser participante da Paixão de Cristo e anunciador da Verdade. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

8º Dia
“Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação” (Tes 4, 3 a).
Quando foi para o Seminário dos Cônegos Regulares Santo Agostinho, passou por momentos difíceis. Pais e amigos faziam forças para que deixasse o seminário. Por ser um jovem bonito e bem educado, era muito assediado pelas jovens. Todas essas tribulações e tentações foram essenciais para fecundar a sua vocação. Foram anos que acabaram por iluminar e fortalecer o seu querer e a vontade de Deus.
Para Santo Antônio, ser santo é um dom de Deus e todo que nasce de Deus, através da água e do Espírito, é chamado à santidade. Ela consiste em viver unido ao Pai e em cumprir, fielmente, os próprios deveres.
Sua santidade se firmava nessa entrega total à vontade de Deus. Denunciava os vícios e o pecado com uma fala franca e enérgica. Além dessa virtude, cabia-lhe a graça da humildade, herdada do Pai Francisco. Estava convencido de que quanto mais a pessoa se humilha em tudo, mais dons da graça acumula diante do Altíssimo. Viveu profundamente o servir de Cristo, que se colocou em último lugar, pois o primeiro pertence ao orgulho. Dizia ele a frei Lucas: “contemple e saúde o céu de longe e confesse-se peregrino e hóspede na terra. Não se ponha à frente de ninguém, considere-se o mais indigno de todos”.

Reflexão

1. Santo Antônio entendeu que para ser santo precisava estar unido a Deus e cumprir a Sua vontade fielmente. Qual a minha maior dificuldade para viver a missão de ser santo?
2. Para ser santo teve que crucificar com Cristo tudo que trazia dentro de si que caracterizasse o homem velho e fazer renascer, da água e do Espírito, o novo homem. Ser servo de Cristo e imitá-Lo em humildade são virtudes que me levam a um crescimento na graça de Deus. Como tenho exercitado estas virtudes no meu dia-a-dia?

Oração
Glorioso Santo Antônio, que desde criança buscastes ser santo, obedecendo a Deus em tudo, fazei com que eu participe da santidade de Deus e que eu possa refleti-la por meio das minhas atitudes para com o próximo. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

9º Dia
“Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim” (Gal 2, 20).
Estava longe de ambicionar fama diante dos homens. Antes de ser revelado como pregador, vivia uma vida de oração e penitência. Era um teólogo, por isso, os frades pediram a São Francisco que ele fosse professor de teologia; ele consentiu, mas com uma ressalva: que os frades estudassem as Sagradas Escrituras, mas de que forma alguma se extinguisse o espírito de oração neles.
Passava longas horas em oração e contemplação. Rezava por muito tempo ajoelhado sobre o pavimento de pedra, com os braços em cruz e a cabeça apoiada numa pedra. Para ele a oração não só restaura o espírito, como o corpo. Quando a alma se encontra iluminada pela luz de Deus, o corpo nem percebe o cansaço e o homem não se preocupa com mais nada. Quando se reza, nem a pedra mais dura e mais aguda consegue perturbar o corpo, porque a alma se encontra numa alegria profundíssima.
A oração foi também uma das armas que ele usou para combater Satanás, além da cruz que sempre trazia consigo. Tinha a plena convicção que Cristo estava nele.

Reflexão
1. Santo Antônio buscava na oração as forças físicas e espirituais necessárias para cumprir sua missão com alegria. A minha vida de oração é sustentáculo da minha caminhada como missionário, perante o cansaço físico e espiritual?
2. Em primeiro lugar devia vir a oração, depois o estudo bíblico, até mesmo S. Francisco via que era necessário o conhecimento da Palavra de Deus na pregação. A minha Lectio Divina e o meu momento de oração pessoal têm me aproximado de Cristo e se tornado essenciais no combate a Satanás?

Oração
Amado Santo Antônio, vós que fizestes da oração um caminho para a identificação com Cristo, fazei que eu me retire para dentro de mim e avance nos mistérios do Pai. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

10º Dia
“Ó Senhor, dá-me viver e morrer no pequeno ninho da pobreza e na fé dos teus Apóstolos e da tua Santa Igreja Católica” (Santo Antônio).
Doente há anos, estava chegando a hora de se despedir desse mundo. Seus membros estavam deformados e andava com dificuldades, mas não deixava de atender todos aqueles que até ele chegavam para pedir-lhe algo ou fazer uma confissão.
Em Camposampiero, teve sua cela plena de silêncio e de oração, lugar onde lia a Palavra de Deus e retocava os seus sermões. Sofreu muito por causa da enfermidade, da solidão e da insônia. Não tinha mais forças físicas, por isso, buscava a paz abandonando-se em Deus e se oferecendo pela salvação das almas. Foram dias de recolhimento em que pôde experimentar todo amor de Deus para com seu servo.
O pensamento da morte sempre o havia acompanhado, entretanto, não a tinha como algo ruim, uma sombra funesta e implacável, mas a hora suprema de prestação de contas com Deus.
Deixara de bater o coração que não amava outra coisa senão o Seu Criador, e por Seu amor as almas.

Reflexão
1. Santo Antônio esperava a morte porque sabia que estaria frente a frente com Deus prestando conta de toda a sua vida. Apesar de toda dor física, se alegrava com a chegada desse momento. Como encaro a morte hoje, sendo eu um ministro da Palavra de Deus?
2. Mesmo sabendo que chegara a sua hora, buscou cultivar uma aproximação ainda maior com Deus, por meio da oração e da Sagrada Escritura. Preparo a minha alma para este encontro glorioso com Deus, deixando para trás todos os valores do mundo e cultivando somente os valores eternos?

Oração
Glorioso Santo Antônio, vós que sempre te preparastes para a morte, fazei com que eu viva este prenúncio da vida eterna, buscando renovar dentro de mim os valores de Deus. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

11º Dia
“O Evangelho poderia perder-se todo, e o reconstruiria letra por letra” (Santo Antônio).
É chamado de Doutor Evangélico por ter usado com muita freqüência testemunhos e sentença do Evangelho em suas pregações. Harmonizava em si santidade sincera e ciência notável.
O método didático que usava era muito comum em sua época: leitura da Bíblia comentada com auxílio das grandes obras dos Santos Padres, principalmente, Santo Agostinho.
Com a existência das novas Ordens a Igreja se dividiu entre o novo e o antigo. Ciente desta divisão tentou promover a aproximação das novas e antigas Ordens, porque seria proveitoso para ambas as partes. Além de que, a Igreja precisava de evangelizadores bem preparados para combater a heresia que estava em evidência por toda a parte, principalmente, na França e Itália.
Era um homem de saber extraordinário e procurava assimilar a Palavra de Deus, unindo humildade e sabedoria. Estabelecia uma ligação, durante a reflexão, entre a alma humana e a Palavra de Deus.
Para muitos era “uma lâmpada de luz e ardor porque exaltava e revelava Deus”. Queria que as pessoas descobrissem o Amado e se apaixonassem por Ele, e por esse amor se entregassem sem medida. Falava do Deus que experimentava na leitura e no irmão.
O desejo dele era salvar vidas, fazendo-as conhecedoras da Verdade que é Cristo, por meio do testemunho de suas experiências e da Palavra de Deus.

Reflexão
1. Santo Antônio era um apaixonado por Deus e por Sua Palavra, pois ela era o caminho que ele tinha que percorrer para chegar até o Pai. O seu desejo era que as pessoas também se apaixonassem por seu Amado. Esse se apaixonar por Deus tem começado em mim, para que depois eu o apresente às pessoas?
2. Lia a Palavra, não de forma teórica, mas assimilando o seu conteúdo, com uma visão espiritual, e o trazia para a realidade que estava vivendo. A leitura bíblica que faço tem me dado uma visão espiritual daquilo que é a vontade de Deus para minha vida fraterna e minha vida de missionário?

Oração
Amabilíssimo Santo Antônio, vós que fostes um conhecedor da Bíblia e só por Ela caminhou, incansavelmente, fazei com que eu encontre na Palavra de Deus uma fonte de sabedoria divina para cumprir a missão a qual, um dia, fui chamado. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

12º Dia
“Aquele que me viu, viu também o Pai” (Jo 14, 9).
Quando entrou para a Ordem franciscana teve uma vida escondida, parecida com a de Cristo antes de Sua vida pública. Dedicava-se à oração, à meditação, ao esquecimento de si mesmo. Deus lhe ensinara a serenidade de mente e coração, características próprias da alma abandonada em Deus. Por isso, sentia-se livre dos assaltos exteriores e das paixões. Deus foi para ele um Pai e educador, e ele soube aproveitar abundantemente desse Mestre.
Tinha um profundo amor por Jesus. Dizia que Cristo nos foi dado para que vivendo nEle, amássemos a Deus; viver sem Jesus é um morrer.
Quase nos últimos dias de sua vida terrena, foi visitado pelo Menino Jesus. O conde Tiso viu o Menino Jesus acariciando-lhe a fronte em uma de suas noites de oração e contemplação. Santo Antônio pediu que não contasse a ninguém, e só foi revelado o fato depois de sua morte.
O Cristo de Santo Antônio era o Cristo da Bíblia, do Calvário, o Rei e Centro de tudo. O Cristo que revelou os segredos do Pai, libertou os homens do medo da morte e os ressuscitou para a vida eterna.
A sua intimidade com Cristo enfurecia Satanás, por isso, desde a sua infância, ele o quis pegar. A origem do exorcismo ocorreu com a “bênção de Santo Antônio”, quando era ainda um adolescente.

Reflexão
1. Sempre quis estar próximo de Cristo para poder estar próximo do Pai e sentir todo o Seu amor. A minha vida de oração me leva a Cristo e, conseqüentemente, ao Pai, tornando-me, desta forma, livre das paixões e assaltos exteriores?
2. Para ele viver sem Cristo é um morrer. Tenho vivido suficientemente com Cristo para não morrer?

Oração
Fidelíssimo Santo Antônio, vós que fostes agraciado pela presença física do Menino Jesus, fazei com que eu também experimente este encontro pessoal com Jesus para que eu tenha uma vida plena em Deus. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

13º Dia
“Disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe” (Jo 19, 26-27).
Santo Antônio desde o nascimento foi mariano. Sua mãe o consagrou à Maria logo que nasceu, sem saber que ele tinha nascido no dia da festa da Assunção de Nossa Senhora, e pediu que Ela fosse sua protetora e mãe. E isto, Maria fez muito bem.
Sempre foi devotíssimo de Nossa Senhora e nos seus sermões, freqüentemente, a saudava. Estava em Tolosa, Paris, e sentia-se profundamente triste porque as pessoas não queriam crer que Maria tinha sido recebida no céu em corpo e alma. Quase ninguém acreditava nesta verdade e seu coração doía, pois ele estava falando da Mãe de Jesus. Mas, Nossa Senhora o consolou quando apareceu a ele e lhe disse: “Fique certo, meu filho, que este meu corpo, Arca do Verbo Encarnado, foi preservado da corrupção do túmulo”. Logo após a aparição, Ela lhe pediu para que divulgasse essa mensagem.
O Santo Padre Pio XII, em 1950, proclamou a Assunção Corporal de Nossa Senhora como dogma de fé. E essa aparição de Nossa Senhora ao santo foi o principal testemunho para o fato. Foi uma bênção de Deus ter ele nascido nesse dia tão glorioso para os católicos filhos de Maria.
O Pai deu a Cristo a divindade; Maria, a humanidade. Ela é a “medianeira”, é ela que recompõe e pacifica o pecador com Deus. É modelo para todos que pretendem se aproximar de Deus para adorá-Lo em “espírito e verdade”. Era desse modo que via e amava a Mãe do Filho de Deus.

Reflexão
1. Santo Antônio conheceu, por meio de sua devoção à Maria, o Cristo em Sua humanidade e divindade e, conseqüentemente, pôde participar do mistério do Pai. Maria tem sido verdadeiramente, esse elo de união entre mim e Deus, isto é, ela tem participado da minha busca de identificação com Deus a partir de Cristo?
2. Adorava Deus em “espírito e em verdade”, porque a Mãe o aproximava do Pai. Quanta alegria teve Santo Antônio ao receber todo o consolo de Maria em face ao descrédito das pessoas em relação a Sua assunção. O rosário que medito, diariamente, tem sido o caminho espiritual para o meu encontro com Cristo e, conseqüentemente, com o Pai? Ele tem me feito um adorador em espírito e verdade?

Oração
Amabilíssimo Santo Antônio, vós que tínheis como Mãe e protetora, Maria Santíssima, fazei que eu, pela prática do santo rosário, possa me encontrar com Deus e contemplá-Lo em plenitude, numa perfeita união com Jesus. Amém.
→ Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.
→ Santo Antônio, rogai por nós.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar