site Amigo da Luz

A formação na Luz da Vida

luizantoniocruz copyConforme a Exortação pós-sinodal Vita Consecrata, o objetivo central do caminho formativo é a preparação para a total consagração a Deus seguindo a Cristo, a serviço da missão. E o itinerário que concretamente leva a isso é o de uma “progressiva assimilação dos sentimentos de Cristo para com o Pai”. Considerando isso, propomos etapas formativas, as quais visam especialmente o conhecimento da pessoa de Jesus, a fim de que seja despertado, no membro Luz da Vida, o mais profundo desejo de se configurar a Jesus Luz da Vida, e assim ser reflexo da Face do Pai para o mundo.

“A Formação é obra de Deus e do homem, de quem a propõe e de quem a recebe, por um período de tempo dedicado especialmente para isso, e depois, para toda a vida” (Amedeo Cencini).

Formação Inicial

Postulado I e II:

Esta é a fase do processo de Discernimento Vocacional. Então, a formação trabalha no âmbito de levar a pessoa ao conhecimento de si mesma, com seus condicionamentos, conscientes e inconscientes, há a conscientização de que a formação é um laborioso processo de identificação de suas feridas, de seus monstros, e ao mesmo tempo, trabalha-se a aceitação de si, com suas luzes e trevas. Portanto, há aqui uma morte a ser enfrentada, um deparar-se com a desestruturação de si para que nasça uma nova criatura. E por fim, a formação nesta etapa, objetiva o fruto de uma verificação vocacional recíproca.

Consiste ainda, na experiência de aproximação e identificação por parte da pessoa ao carisma da comunidade, devendo engajar-se de forma ativa nas atividades da comunidade, e participar efetivamente dos encontros promovidos pela equipe de acompanhamento.

Noviciado:

O noviciado é o tempo de desmantelamento das velhas arquiteturas e de descobertas de um novo modo de ser, mais livre e mais verdadeiro. Tempo precioso, porque tudo é trabalho no sentido de promover para o formando um contato experiencial com Cristo Jesus como o “meu Senhor”, o Mestre, o único que tem palavras de vida e pode revelar-me a verdade de minha vida, aquele sem o qual a vida não é mais vida... É também tempo de luta, experimentada e suportada na própria pele, período em que se vive uma certa purificação, porque o homem velho não largou a presa e o homem novo é ainda jovem e, talvez, até fraco e inseguro. Por conseguinte, é também uma fase de dúvida e de obscuridade, na qual os momentos de sincera adesão a Cristo, Verbo da vida, alternam-se com momentos de dramática incerteza, de temor.

Nesta intensa fase formativa, o membro Luz da Vida é também convocado a se aprofundar na experiência da vida fraterna, precioso tesouro para o nosso Carisma, a fim de viver o amor que une, o amor que é reflexo da Família do céu – Santíssima Trindade. Destaca-se ainda a busca das virtudes humanas e cristãs, em vista da realização do projeto que Deus tem sobre uma pessoa chamada a participar ativamente da experiência de um carisma de fundação e do seu desenvolvimento, passando pelo processo de separação do mundo para viver em plenitude o seguimento de Cristo.

Além disso, há um profundo contato com nosso carisma, e com a riqueza dos documentos da Igreja, que são acrescentados a este tempo, em que o noviço (comunidade de vida) se ausenta do mundo, da família, da vida missionária intensa para se formar, para entrar em contato consigo mesmo, para se descobrir, como filho (a) de Deus. Enquanto que o noviço (comunidade de aliança) é chamado a fazer a mesma experiência dos da Comunidade de Vida, com o diferencial que estes o fazem estando no mundo, e na missão que lhe fora confiada.    

Formação Permanente

“Ser Luz da Vida não é apenas um ato de vontade da pessoa humana, antes é uma atração que nasce do coração do Pai e que vai até à pessoa por meio de Jesus, tornando uma expressão visível da vocação que nasce de Seu Coração. A luz deve brilhar na alma consagrada como reflexo do despertar do carisma já existente como sinal de sua eleição” (Estatuto CLV).

Após o período do Noviciado, e no caso da Comunidade Luz da Vida, o vivenciamos no espaço de dois anos, a pessoa já está preparada para assumir uma consagração, e a partir daí a formação será tida como permanente.

O olhar se amplia, a mente alcança novos horizontes, o coração sente-se sempre mais atraído. Houve uma escolha que mudou a vida, mas que também a complicou. De qualquer forma, a formação será aplicada a toda a vida e a todas as áreas da personalidade.

A pessoa consagrada não é apenas chamada para amar a Deus, e sim para amar à maneira de Deus! E isso não pode acontecer sem uma reestruturação, um trabalho paciente e contínuo de reconstrução. É a unção Luz da Vida que capacita o consagrado ser expressão do amor salvífico de Deus, alicerçado na intercessão de Maria nossa Mãe.

O próprio Espírito suscitou na “Unção Luz da Vida” uma sede insaciável na alma dos consagrados de buscar a plenitude da vontade do Pai:

“[...] a fim de possais, com todos os cristãos, compreender qual seja a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, isto é, conhecer a caridade de Cristo, que desafia todo conhecimento, e sejais cheios de toda plenitude de Deus” (Ef 3, 18-19).

Conhecer a caridade de Cristo deve ser o desafio que atraia e encante o nosso coração. Esta realidade tem como itinerário o mergulhar no mistério pascal: paixão, morte e ressurreição de Jesus. Para o consagrado Luz da Vida é impossível viver sua vocação, comunhão e missão se não nascer das chagas do Nosso Senhor.

O conhecimento progressivo da caridade de Cristo está intimamente ligado à nossa restauração constante como imagem dAquele que nos criou (Cl 3, 10), proporcionando assim o inflamar da alma, o ardor do coração pelo infinito, pela eternidade. Esse é o caminho pelo qual, o consagrado Luz da Vida deve encontrar realização, ou seja, estar cheio de toda plenitude de Deus. E a formação trabalha incansavelmente para promover a assimilação dos sentimentos de Jesus em cada consagrado.
A Formação é caracterizada por:

- Acompanhamentos Comunitários (ministramos formações, promovemos estudos, organizamos dinâmicas, retiros, encontros, e tudo que possa auxiliar a pessoa a vivenciar de modo pleno a sua vocação como Luz da Vida);
- Acompanhamentos Individuais (cada formando, desde a Formação inicial – o primeiro contato com a Comunidade, em busca de sua vocação – possui um formador pessoal com quem compartilha toda a sua vida, em todos os seus aspectos; o formador é responsável por caminhar junto a este irmão, acompanhando-o passo a passo, no sentido de colaborar para que o formando se configure a Jesus).

“O formador é o “cultivador direto” na vinha do Senhor. Ele tem a missão de educar, formar e acompanhar. É, pois, uma intervenção direta sobre o eu atual do indivíduo” (Amedeo Cencini).